Mercado global de alimentos embalados deverá atingir US$ 4,89 trilhões até 2027

Exportação para países árabes atingiram US$ 12,197 bilhões em 2019 que inclui alimentos e outros mercados como o de embalagens. Várias empresas buscam certificação halal

Certificação halal
São Paulo, maio de 2020 – Há uma grande expectativa de que o mercado global de alimentos embalados atinja US$ 4,89 trilhões até 2027, crescendo a uma taxa de 6,5%/ano de acordo com análises realizadas pela Strategy MRC.


No Brasil, a produção física de embalagens – material plástico, metálicos, papelão ondulado, cartolina e papel-cartão, papel, têxtil e madeira – conforme estudos da ABRE Macroeconômico da Embalagem/ Cadeia de Consumo e o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (IBRE/FGV) – cresceu 3% em 2019. O montante atingido foi de R$ 80,2 bilhões, um aumento de 6,5% em relação a 2018. Os principais clientes das indústrias de embalagens são: alimentos e bebidas. Para este ano, as previsões ainda são incertas devido ao coronavírus, à instabilidade do petróleo, à paralisação da agenda de reformas, entre outros, mas é possível que o setor atinja o crescimento de 0,6%.
No primeiro semestre de 2019, as exportações diretas do setor de embalagem movimentaram um total de US$ 258,7 milhões, conforme dados apresentados pela ABRE (veja abaixo gráfico). As embalagens metálicas correspondem a 36,6% do total exportado, seguidas pelas embalagens plásticas com 31,6% na segunda colocação. Já as embalagens de papel, cartão e papelão ficaram no terceiro lugar, correspondendo a 27,4% do total exportado, seguidas por embalagens de vidro (2,5%) e madeira (1,8%).

Certificação Halal para países muçulmanos e não muçulmanos – Para a Organização da ONU para Alimentação e Agricultura (FAO), se o ritmo de consumo continuar, o mundo precisará de 60% mais de alimentos e 40% mais de água, para atender a demanda dos 9 bilhões de habitantes do planeta em 2050. Toda a cadeia de produção, desde o plantio até a logística, precisará de novos investimentos, para que a gestão do agronegócio seja mais sustentável. O Brasil é considerado o celeiro mundial na produção de alimentos.


E para quem pensa em investir em exportação deve pensar num mercado gigantesco chamado muçulmano. As exportações brasileiras para os países árabes atingiram US$ 12,197 bilhões em 2019, registrando um crescimento de 6,3% em comparação com os números de 2018, segundo dados da Câmara de Comércio Árabe-Brasileira (ABCC). Os principais produtos brasileiros exportados foram: aves; açúcar de cana ou beterraba e sacarose quimicamente pura; minérios e concentrados de ferro; carne bovina; milho; tubos; canos e perfis ocos; ouro; grãos de soja; café (torrado e descafeinado); óleo de petróleo e óleo obtido de minerais betuminosos; e automóveis e outros veículos de motor projetados para transporte de passageiros.


A maioria destes países consomem produtos que exigem a certificação halal (termo de origem árabe que significa lícito, permitido ou admissível pela Sharia – jurisprudência islâmica). “A maioria da população é muçulmana. Mas é importante destacar que o mercado halal não é exclusivo dos muçulmanos e ganhou crescente aceitação entre os consumidores não muçulmanos que associam halal ao consumismo ético. É um selo que atesta a qualidade dos produtos em diversos segmentos, como por exemplo, o de embalagens, onde são analisadas as matérias-primas de sua composição; boas práticas de fabricação e setores de produção”, explica o diretor-executivo da Cdial Halal, Ali Saifi.
Atualmente, o mercado que mais solicita a certificação é o de alimentos e bebidas, principalmente o de proteína (bovina e frango), mas outros segmentos estão investindo na certificação halal: embalagens, cosméticos, transporte, logística, produtos químicos, fármacos, artigos de higiene pessoal, etc.


De acordo com relatório da Pew Research Center, em 2050, a população muçulmana em todo o mundo deverá atingir 2,76 bilhões, ou seja, 29,7% da população mundial. A região da Ásia Pacífico abriga a maior população muçulmana do mundo. Alguns dos países da região são Indonésia, Tailândia, Cingapura e Mianmar. Os novos países a ingressarem na liga da crescente população podem ser Canadá, Congo, Bélgica, Guiné-Bissau, Togo e Holanda.
A Cdial Halal – uma das maiores e importantes certificadoras halal do Brasil – “Somos os únicos na América Latina acreditados pelos principais órgãos oficiais dos Emirados Árabes (EIAC) e do Golfo (GAC), o que nos confere a seriedade e competência nos segmentos que atuamos. São certificações que comprovam que seguimos as rígidas regras e garantimos a excelência e integridade dos produtos e empresas acreditadas”, finaliza Saifi.


Informações para imprensa
LN Comunicação
Lucia Nunes – diretora e jornalista responsável
Marianna Cardoso – assessoria de imprensa
(11) 3458.7741 / 7748 / 99968.4105

A CDIAL HALAL é referência Global em Certificação Halal e mantém parcerias estratégicas com Empresas de Alimentos de Classe Mundial. Parte relevante de seus investimentos é direcionada à preparação e Qualificação dos Colaboradores, Gestão da Qualidade, Segurança dos Alimentos, bem estar animal, além da constante ampliação da capacidade produtiva para atender as demandas de mercado.
Post criado 61

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo